Imprimir

Imprimir Notícia

15 Abr 2014 - 07:30

Agência encerra intervenção e grupo Energisa assume a Cemat

 A Energisa, um dos principais grupos privados do setor elétrico no Brasil, assumiu o controle do Grupo Rede e, indiretamente, da Cemat e de outras sete distribuidoras que estavam, desde setembro de 2012, sob intervenção da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Nesta segunda-feira (14), foi realizada a Assembleia Geral Extraordinária (AGE) da Cemat, processo que concluindo o processo.

A transferência do controle e aprovação de um plano de recuperação das concessionárias eram condições para o encerramento da intervenção pela agência reguladora.

Com a aquisição, a Energisa passa a atender 6 milhões de clientes - ou uma população de 15 milhões de pessoas – em 788 municípios de nove estados, em todas as regiões do país.

Em Mato Grosso, são mais de 1,2 milhão de consumidores em 141 municípios.

Às cinco distribuidoras do Grupo – Energisa Paraíba, Energisa Borborema, Energisa Sergipe, Energisa Minas Gerais e Energisa Nova Friburgo –, que atendem 2,5 milhões de consumidores, somam-se as concessões em Mato Grosso (Cemat), Mato Grosso do Sul (Enersul), no Tocantins (Celtins), em São Paulo (Caiuá, Bragantina, Nacional e Vale Paranaparema) e no Paraná (Força e Luz do Oeste).

A operação consolida a Energisa, a mais antiga companhia do setor no país, com 109 anos, como a sexta em número de clientes e a sétima em receita líquida no segmento – que passará de R$ 2,9 bilhões para R$ 8,4 bilhões (somatório das receitas líquidas do Grupo Rede e Energisa em 2013). A empresa irá contar, no total, com 10 mil funcionários diretos.

O novo diretor-presidente da Cemat, Wilson Couto, que assume o comando da empresa em substituição ao interventor determinado pela Aneel, Jaconias Aguiar, informou que as prioridades serão a retomada da sustentabilidade da concessão e da normalidade dos serviços no menor tempo possível.

“Esses pilares estarão presentes na implantação do plano de recuperação para a empresa. Temos como foco a excelência nos serviços e no relacionamento com clientes. Nossas distribuidoras estão entre as melhores do país em rankings da Aneel. É esse histórico de solidez, compromisso e eficiência que traremos para a Cemat”, afirmou.

Segundo ele, entre 2014 e 2017, a Energisa irá investir no Estado cerca de R$ 1,4 bilhão, considerado o maior investimento entre todas as distribuidoras do grupo.

“Estes investimentos permitirão que ao longo deste período possamos atender os limites regulatórios de qualidade e perdas elétricas. Nossa prioridade mais imediata é assegurar o equilíbrio financeiro da empresa de forma que ela possa continuar investindo e atendendo plenamente à expansão do mercado de Mato Grosso”, disse o executivo.

Couto explicou que a empresa investirá prioritariamente na expansão da rede elétrica, que tem se ampliado a taxas muito elevadas em função das novas fronteiras agrícolas em todo o estado, e no combate ao furto de energia na área de concessão da Cemat que atingiu em 2013 15,6%.
4
O executivo acrescentou que a rotina do consumidor permanece a mesma. “Nada mudará em termos de pagamento de conta, serviços de agência e atendimento por meio do call center. O que podemos assegurar é que pretendemos melhorar a qualidade dos serviços prestados e temos muitos planos que serão colocados em prática imediatamente”, completou.

O Grupo Energisa

O Grupo Energisa é apontado como um dos principais grupos privados do setor elétrico do Brasil.

Com 109 anos de história e uma das primeiras empresas a abrir capital no Brasil, em 1907, a Energisa tem na distribuição de energia a base principal de seu negócio.

Com a compra do Rede, a empresa passa a gerar 10 mil empregos diretos. Somente em Mato Grosso, são 1.962 funcionários.

Imprimir