Imprimir

Imprimir Notícia

18 Abr 2014 - 10:15

Gaspar corta ponto dos professores e greve pode voltar

Professores e funcionários da educação aguardam pagamento dos dias em que estiveram de greve, caso isso não ocorra, classe promete nova paralização

Após entrarem em acordo com o executivo e cancelarem a greve, os professores de Confresa foram surpreendidos com o corte de oito dias de serviço no salário referente ao mês de março, quando as aulas foram suspensas por 14 dias. A categoria se reuniu em assembleia ontem decidiu que o pagamento deve ser corrigido, caso contrário a greve será retomada no próximo dia 22.

De acordo com a presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Educação Pública (Sintep) sub-sede de Confresa, Lucimeire Lazara, o reajuste de 8% prometido para este pagamento foi cumprido, mas os cortes não estavam previstos. "Conversamos com representantes da prefeitura que asseguraram que o corte foi um erro do Recursos Humanos, mas até o momento não fizeram a correção.", contou a presidente.

Professores municipais ficaram 14 dias em greve negociando o reajuste salarial da categoria. Servidores e Executivo fecharam acordo para um reajuste de 12,5% em março, seguindo com mais 3% em outubro e 7% para fevereiro do próximo ano. Mais de 3.500 alunos ficaram sem aula neste período, com adesão de mais de 70% das escolas da rede municipal.

A reposição, conforme o Agência da Notícia já antecipou está sendo organizada individualmente por cada unidade junto com a comunidade, a nova paralisação seria retomada na próxima terça-feira, quando as aulas retornam depois do feriadão de pascoa. A posição da prefeitura é que o corte foi um erro e que será corrido, mas um prazo não foi apresentado ainda.

Imprimir