Imprimir

Imprimir Notícia

17 Jun 2014 - 13:45

Mato Grosso lidera exportações em maio com 17,8% do desempenho nacional

 A queda de 16,3% nos embarques de São Paulo no mês de maio, ante o ano passado, proporcionou a Mato Grosso o primeiro lugar no ranking das exportações novamente. Os US$ 1,722 bilhões de Mato Grosso representam uma fatia de 17,8% dos US$ 9,654 bilhões em produtos do agronegócio enviados pelo Brasil ao exterior.

As informações são do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), que revela ainda um embarque de US$ 1,498 bilhão feito por São Paulo no quinto mês de 2014.

Em 2013 o Estado da região sudeste havia ocupado o primeiro lugar com US$ 1,788 bilhão embarcados e Mato Grosso o segundo lugar com US$ 1,621 bilhão.

Segundo o Mapa, o Rio Grande do Sul mesmo com recuo de 12,9% nas exportações manteve-se em terceiro lugar com US$ 1,399 bilhão enviados. O Paraná manteve-se em quarto com US$ 1,277 bilhão, volume este 7,3% inferior ao verificado em maio de 2013.

Minas Gerais é considerada uma surpresa. O seu aumento de 9,4% nas exportações proporcionou que sua posição salta-se da 7ª colocação em 2013 para a 5ª em 2014 com US$ 703,2 milhões em commodities enviadas ao exterior.

Ano

Apesar do bom desempenho verificado em Mato Grosso nos últimos três meses com o termino da colheita da soja, principal commoditie exportada pelo Estado, no acumulado do ano o ranking do maiores Estados exportadores se inverte. Por mais que os embarques em 2014 feitos por São Paulo tenham caído 13%, o mesmo se mantém líder com US$ 7,293 bilhões. São Paulo é responsável por 18,5% das exportações nacionais, tendo-se em vista ser grande produtor de derivados da cana-de-açúcar, indústria petrolífera e automobilística.

Em 2014, de janeiro a maio, as exportações mato-grossenses registraram US$ 6,985 bilhões, 1,5% a mais que o ano passado. O Estado é responsável por 17,7% dos embarques nacionais.

O Paraná vem em seguida com US$ 5,475 bilhões, o Rio Grande do Sul com US$ 4,305 bilhões e Minas Gerais em 5º lugar com US$ 2,982 bilhões

Imprimir