Imprimir

Imprimir Notícia

11 Jul 2014 - 07:46

Consumo de combustível cresce 4,9% até maio no Estado

 As vendas de combustível em Mato Grosso atingiram 1,685 bilhão de litros, até o mês de maio. Volume 4,9% maior que o comercializado pelos postos do Estado. O menor incremento verificado na variação anual pertence ao etanol hidratado (para abastecer veículos flex) de 0,08%. Ao se comparar maio de 2014 com 2013 há um recuo de 8,1% nas vendas de etanol, podendo ser creditado ao seu preço elevado.

Em 2013, entre janeiro e maio, Mato Grosso havia vendido 1,607 bilhão de litros de combustível, segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Somente em maio 2014 foram 331,07 milhões de litros contra 316,37 milhões no mês o ano passado, uma alta de 4,6%. Já em relação aos 314,28 milhões de litros de abril o incremento é de 5,3%.

O óleo diesel segue como o principal combustível comercializado no Estado. Em cinco meses 1,099 bilhão de litros foram consumidos, 3,3% a mais que os 1,064 bilhão em 2013.

Após a queda verificada em abril, a venda de óleo diesel se recuperou em maio atingindo 211,8 milhões de litros, 9,7% a mais que 192,9 milhões do quarto mês de 2014. Ante maio do ano passado foram 4% de alta.

A ANP revela que a gasolina registrou alta de 15% nos consumo até maio. Entre janeiro e maio foram 265,6 milhões de litros contra os 231,1 milhões de 2013. Um dos fatores contribuintes para o aumento do consumo da gasolina foi o preço em relação ao etanol. Em Cuiabá, por exemplo, enquanto se via etanol a R$ 2,29, em alguns postos, a gasolina era vista a R$ 3,19. Dependendo da região da Capital podiam ser vistos a R$ 1,99 o etanol e R$ 2,89 a gasolina, antes dos preços começarem a reduzir ao final de junho.

Na variação mensal com abril o salto foi de 56,8 milhões de litros para 57,4 milhões. Em maio de 2013 haviam sido 49,3 milhões de litros vendidos.

Etanol

As vendas de etanol hidratado que vinham apresentando crescimento, tornaram a cair. Em maio apenas 36,3 milhões de litros foram comercializados, 8,1% a menos que os 39,5 milhões do ano passado e 4,22% que os 37,9 milhões de litros de abril.

Na variação anual houve leve acréscimo de 0,8%, salto de 189,7 milhões para 191,2 milhões.

Imprimir