Imprimir

Imprimir Notícia

31 Mar 2017 - 09:22 | Atualizado em 31 Mar 2017 - 11:22

FUNAI diz que estudo está pronto e libera o asfalto no contorno da BR 158, obra custará R$ 500 milhões

Vinte prefeitos, representantes do DNIT, Meio Ambiente, Presidente da Funai, Senador, Deputados Estaduais, Representantes do Governo do Estado de MT, a comunidade Xavante e a população, isso foi o que a Audiência Pública da Assembleia Legislativa realizada nesta quinta-feira (30) no Alô Brasil solicitada pelo Deputado Estadual Baiano Filho do PSDB, conseguiu reunir para encontrar definitivamente uma solução para a conclusão do asfalto da BR 158.

No encontro ficou confirmado que o asfalto será feito pelo contorno, ou seja, a BR-158 passará pelo Luizinho, passando por Pontinópolis, Alto Boa Vista, Serra Nova Dourada e Bom Jesus do Araguaia. No total serão cerca de 200 quilômetros a mais, a distância praticamente dobrou, porém, o Cacique Damião líder dos Xavantes da Terra Indígena Marawatsede que estava presente no evento, foi enfático em dizer que não permite o asfalto no trecho original, mas que apoia totalmente o desvio da BR. “Não vamos deixar o asfalto passar dentro da Reserva Indígena, já sofremos mais de 50 anos quando ficamos fora da nossa área e agora não queremos estrada dentro da nossa reserva. Mas vamos apoiar o asfalto pelo contorno”, disse o Cacique Damião que foi bastante aplaudido.

O Presidente da FUNAI Antônio Costa falou pouco, mas falou o que todos estavam esperando ouvir. “Nós estamos aqui para dizer que a FUNAI não será entrave para o desenvolvimento do Brasil e viemos participar aqui hoje e dizer que o estudo da FUNAI para a construção da estrada está concluído e que a FUNAI concorda em fazer o asfalto pelo entorno do Eixo Principal”, afirmou o Presidente da FUNAI.

A Representante do IBAMA – Larissa Carolina que também esteve no evento afirmou que após o posionamento da FUNAI, o papel do Ibama agora é ouvir a comunidade e não é de entrave. “Vamos fazer aqui o nosso compromisso de avaliar essa questão do contorno e emitir a licença prévia o mais rápido possível”, disse Larissa.

O Diretor Geral do DNIT, Valter Casimiro, afirmou que o custo da obra ficará em torno de R$ 500 milhões de reais, e será dividia em dois lotes, sendo o lote A do Luizinho ao Alto Boa Vista e o lote B de Alto Boa Vista a Bom Jesus do Araguaia. Ainda segundo Valter os lotes serão licitados o A até 10 de abril e o B até 10 de maio. “Após todas as licenças concluídas, e a licitação feita, o dinheiro empenhado e as máquinas no trecho a obra deve levar em torno de 2 anos e meio para concluir”, explicou o Diretor Geral do DNIT.

Para Baiano Filho que promoveu a Audiência o resultado foi positivo. “Mostramos união, conseguimos unir os brancos e os índios e chegamos a um consenso, além de conseguir o apoio da FUNAI, demos um grande passo, mas agora temos que continuar o nosso trabalho de cobrança para a conclusão desta obra que importante não só para o Araguaia mas para todo o Brasil”, disse Baiano Filho.

Imprimir