Imprimir

Imprimir Notícia

2 Abr 2014 - 07:56 | Atualizado em 2 Abr 2014 - 08:02

Casal Carlos e Teté Bezerra denuncia chantagem e nega estar devendo R$ 6 milhões para ‘agiota’

Os deputados federal Carlos Bezerra, presidente regional do PMDB, e estadual Teté Bezerra (PMDB), sua mulher, negaram possuir dívida de R$ 6 milhões com agiota e denunciou estar sendo chantageado pelo suposto cobrador, o engenheiro civil Pedro Luiz de Araújo Filho. O casal divulgou ‘nota de esclarecimento’, com cópia anexa de um despacho do juiz José Arimatea Neves Costa, da 20ª Vara Cível de Cuiabá, em que determina a suspensão do arresto de bens, inclusive da fazenda em Dom Aquino.

“Na hora certa os senhores vão saber a verdade. Isso que estão fazendo conosco é chantagem vergonhosa. É uma maldade sem tamanho”, respondeu Carlos Bezerra, na noite desta segunda-feira (31/03), na entrada principal da sede do Grupo A Maggi, no CPA, antes de participar de uma reunião política.

“Não devemos nada para quem está nos cobrando. Já foi tudo pago. É um agiota querendo fazer chantagem”, emendou Bezerra, para a reportagem do Olhar Direto, referindo-se ao cobrador Pedro Luiz de Araújo.

Na nota de esclarecimento, o casal afirma “que nossas contas foram bloqueadas em função de uma divida é ‘inverídica e difamatória’. A ação de execução da referida dívida foi endereçada, de má fé, a duas fazendas de nossa propriedade, sendo uma no município de Paranatinga e outra em Dom Aquino – é de conhecimento de todos, que residimos em Cuiabá, detalhe este não levado em consideração, induzindo o meritíssimo Juiz de Direito, Dr. José Arimatéa Neves Costa a proferir a decisão inicial, imediatamente revogada após informação acerca dos endereços”.

“Estaremos no momento processual próprio oferecendo defesa em bases sólidas, que deverá provavelmente ser acolhida pelo Poder Judiciário, restabelecendo desta maneira a verdade violada”, continuou nota.

O advogado Elarmin Miranda, responsável pela defesa do casal Bezerra, não atendeu à reportagem do Olhar Direto.

Entenda o caso


Principais líderes do PMDB de Mato Grosso, Carlos e Teté Bezerra tiveram a fazenda Agropecuária São Carlos, localizada na cidade de Paranatinga, penhorada pela Justiça. O casal também teve suas contas bancárias bloqueadas, até que saldem uma dívida no valor de cerca de R$ 6 milhões, contraída em 2010 com o engenheiro civil Pedro Luiz Araújo Filho.

O valor bloqueado seria referente à parte que não foi quitada de um empréstimo no valor de R$ 7 milhões. Bezerra e Teté teriam pago R$ 2 milhões da dívida, mas relutado em quitar o restante do empréstimo, o que motivou a ação de execução.

O processo tramita na 20ª Vara da Comarca de Cuiabá, cujo titular, juiz José Arimatea Neves da Costa, sustou temporariamente o arresto dos bens do casal Bezerra.

Cópia da revogação do arresto de bens, emitida pelo Juiz José Arimatéa Neves Costa. titular da 20ª Vara da Comarca de Cuiabá.

Imprimir