Imprimir

Imprimir Notícia

9 Ago 2014 - 10:00

Ministro do STF manda soltar ex-secretário Eder Moraes

 O ministro Dias Tóffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou, nesta sexta-feira (8), a soltura do ex-secretário de Estado Éder Moraes.

A informação é do advogado Fábio Lessa, que neste momento se dirige ao Centro de Custódia de Cuiabá, antiga Polinter, onde Éder está detido.

Ele afirmou que irá cumprir o trâmite burocrático para que seu cliente seja colocado em liberdade, ainda na noite desta sexta.

O ministro Tóffoli atendeu ao pedido da defesa, feito por meio de um habeas corpus.

Além de conceder a liberdade, o ministro também suspendeu a restrição que proibia Éder de falar com sua mulher, Laura Tereza Dias. Ambos são réus na Justiça Federal.

Lessa alegou que não havia mais razão para que o ex-secretário continuasse detido, pois ele não ofereceria mais risco às investigações da Operação Ararath (argumento utilizado, pelo próprio Tóffoli, para decretar sua prisão).

Papuda

O ex-secretário foi preso pela Polícia Federal no último dia 20 de maio. Em seguida, foi transferido para o Presídio da Papuda, em Brasília.

Ele é acusado de fazer parte de um esquema de lavagem de dinheiro e crime contra o sistema financeiro nacional.

No último dia 23 de julho, Eder foi transferido a Cuiabá, por agentes da Polícia Federal, para prestar depoimento à Justiça Federal.

Além dele e da mulher, são réus o ex-secretário de Estado Vivaldo Lopes e o ex-gerente do Bic Banco, Luiz Carlos Cuzziol.

Falha na comunicação atrasa alvará (atualizado às 0h36)

Um problema no sistema de comunicação entre o Supremo Tribunal Federal e a Justiça Federal em Mato Grosso atrasou a soltura de Eder Moraes.

Até a 0h30 deste sábado (9) os advogados tentavam obter o alvará para dar liberdade ao ex-secretário. A falha seria no malote eletrônico.

Segundo o advogado Fábio Lessa, o oficial de justiça, responsável por notificar o Centro de Custódia, já estava a postos, desde a noite de ontem.

Imprimir