Imprimir

Imprimir Notícia

3 Abr 2019 - 16:00

PEC facilita expansão da Unemat

Atender os municípios mais carentes de Mato Grosso e promover o ensino de nível superior. É o que pretende o deputado estadual Silvio Fávero (PSL), autor do Projeto de Emenda Constitucional (PEC) que facilita a expansão da Universidade Estadual de Mato Grosso (Unemat). A medida deverá ser aplicada aos municípios com o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) inferior a 0,7 ou seja, em cidades mais carentes de recursos financeiros.

Pela proposta, a implantação dos cursos de nível superior deverá ocorrer gradualmente para garantir que no prazo de cinco anos, cada cidade beneficiada disponha de pelo menos três cursos de graduação. A proposta assegura que a partir de 2020, parte dos recursos destinados à instituição (2,5% da receita do estado), deverá ser aplicada na instituição de cursos de nível superior.

“Quem mora em município mais desprovido de recursos financeiros, paga mais caro para estudar e fazer uma faculdade pois precisa se deslocar à cidade vizinha. Ocorre, que essa necessidade de deslocamento em busca de curso superior acarreta desgaste físico e emocional, gera custos elevados com transporte, alimentação e até hospedagem, dependendo da situação. Por que não facilitar, se temos os caminhos para isso?”, indaga Silvio.

Fávero argumenta ainda, que caso a emenda seja aprovada beneficiará alunos do ensino médio que muitas vezes, desistem dos estudos devido à falta de instituições de ensino no local onde moram. “Os municípios mais carentes, necessitam de políticas públicas que lhes garantam alternativas para dinamizar sua economia. Por isso a medida, com intuito de incentivar a expansão do ensino superior”, ressaltou.

O orçamento da Unemat corresponde a 2,5% da receita do Estado. A instituição possui 13 campus, 36 cursos de pós-graduação, 60 cursos de graduação (oferta contínua), 129 cursos de graduação (modalidade diferenciada), está presente em 108 municípios e atende 22.593 acadêmicos. Vale lembrar que, o orçamento de 2018 da universidade estadual foi de R$ 300 milhões e a previsão para 2019 é que seja aplicado cerca de R$ 390 milhões.

Imprimir