Imprimir

Imprimir Notícia

8 Ago 2020 - 15:44

“Dom Pedro era um homem corajoso, muito amigo do meu pai e sempre pedia pra minha mãe: Tem um docinho?”, lembra o ex-prefeito Filemon Limoeiro

Muitos conheceram a face de luta e de guerra, determinação que definia bem Dom Pedro Casadágila que morreu neste sábado (08/08), em Batatais- SP, alguns puderam ter o gosto de conhecer a doçura desse homem que foi reconhecido internacionalmente pela sua lealdade aos indígenas, aos menos favorecidos. 

Filemon Limoeiro que cresceu em São Felix do Araguaia, quando a cidade ainda era distrito de Barra do Garças, e o pai era o vice-prefeito Manoel Limoeiro, contou com exclusividade para o Agência da Notícia alguns detalhes sobre a vida de Dom Pedro em São Felix. “Meu pai o amava e ele sempre pedia pra mim mãe: 
- Tem um docinho!?”, esse era Dom Pedro forte e frágil ao mesmo tempo, destacou Filemon Limoeiro. 

Ele ainda ressaltou que apesar de algumas desavenças com Dom Pedro, sempre houve muito respeito, e que foi com muito pesar que recebeu a notícia da morte do Bispo.

Dom Pedro chegou em 1971 em São Felix do Araguaia defendendo a população reprimida pelo estado militar.  “Dom Pedro Casaldáliga era um homem polêmico, direto e corajoso. Lembro do Meu pai acompanhar pelo rádio a resposta do amigo Pedro quando foi convidado a prestar esclarecimentos ao Papo João Paulo II. Deixo a minhas sinceras condolências à família católica por esta inestimável perda”, finalizou Limoeiro.

Imprimir