Imprimir

Imprimir Notícia

11 Ago 2020 - 17:10

Brasil exporta 64% mais algodão no mesmo mês de julho

A Abrapa - Associação Brasileira dos Produtores de Algodão divulgou os dados de exportação de julho. No mês foram embarcadas 77.213 toneladas totalizando uma receita de US$ 106,92 milhões. O volume embarcado é 64% maior do que o mesmo mês do ano passado.

A China perdeu a superioridade no volume importado. No mês, o Paquistão foi o país que mais comprou algodão brasileiro, ficando acima de 16 mil toneladas. No primeiro semestre de 2020, a Turquia e o Vietnã foram os maiores compradores e neste mês ocuparam a segunda e terceira colocação, respectivamente. Em quarto lugar ficou a Indonésia e a China foi a quinta colocada.

No fechamento da temporada de exportações 2019/2020, referente ao período de agosto de 2019 a julho de 2020, o Brasil exportou 1,945 milhão de toneladas, totalizando uma receita de US$ 3,069 bilhões proveniente das exportações. O volume embarcado nesse período é 49% maior que ao volume embarcado durante toda a temporada 2018/2019.

A importação de algodão pelo Brasil durante 2019/2020 contabilizou o menor patamar das últimas temporadas, atingindo pouco mais de 1.000 toneladas. O superávit da balança comercial do algodão brasileiro se consolidou em 3 bilhões de dólares na temporada 2019/2020, período entre agosto de 2019 até julho de 2020, o que já era previsto nos últimos meses.

O ranking dos 10 maiores importadores mundiais do algodão brasileiro ao longo da temporada de exportações 2019/2020 traz a China em primeiro lugar (marketshare de 30% do total exportado), seguido do Vietnã (15%), Bangladesh (12%), Paquistão (11%), Indonésia e Turquia (10%), Malásia (5%), Coréia do Sul e Índia (2%) e, finalmente, Tailândia (1%).

O Brasil bateu o recorde de importação, mas mesmo assim a balança comercial fechou com superávit de 3 bilhões de dólares no ano.Mercado

A sustentação do preço internacional está acima de 60 cents US$/librapeso. O contrato de maior liquidez da bolsa de NY (Dezembro/20) está se sustentando entre 62 e 64 cents US$/libra-peso nos últimos dois meses.

O algodão ainda conseguiu uma ligeira recuperação no preço internacional, quando comparado com os sintéticos.

Sobre o estoque mundial, segundo o relatório da Abrapa, o último relatório do ICAC, publicado no início do mês de agosto, as perspectivas são de aumento em 7% nos estoques finais de algodão mundial para a safra 2020/21.

Houve redução de 5% na produção mundial para 2020/21 é ainda reflexo do relatório de safra do USDA, divulgado no fim do mês de junho. Não houve uma nova revisão no consumo global pelo ICAC, mantendo as 22,5 milhões de toneladas na safra 2019/20 e 23,3 milhões de toneladas na safra 2020/21.

Imprimir