Imprimir

Imprimir Notícia

27 Ago 2020 - 08:45

Governador de Mato Grosso se reúne com ministros para tratar das ferrovias e da BR-163

O governador Mauro Mendes esteve em Brasília, nesta quarta-feira (26.08), onde se reuniu com o advogado-geral da União, ministro José Levi, e com o general Luiz Eduardo Ramos, ministro da Secretaria de Governo da Presidência da República, para garantir o andamento dos projetos das ferrovias e da duplicação da BR-163 em Mato Grosso.

Também participou da reunião o líder da bancada federal de Mato Grosso, deputado Neri Geller.

“Falamos sobre dois assuntos importantes: a BR-163 e as ferrovias da Rumo, Fico e Ferrogrão. São assuntos importantes da logística do nosso estado, alguns estão andando, alguns estão encaminhados, mas é uma luta que temos que estar corpo a corpo para garantir que os próximos passos caminhem. Para que a Ferrogrão chegue até a cidade de Lucas do Rio Verde, para que a Fico chegue até Água Boa e para que a Ferrogrão saia lá de Miritituba (PA) e chegue até a cidade de Sinop”, relatou o governador.

Mauro Mendes tem feito reuniões constantes com políticos e gestores para que os projetos possam ser efetivados, uma vez que representam grandes avanços para a infraestrutura e logística de Mato grosso. Porém, conforme o governador, ainda há entraves de ordem burocrática que precisam ser solucionados.

“Muitos passos ainda precisam ser dados e o que estamos fazendo é marcando passo a passo para que isso não fique parado em alguma instância de decisão. E a BR-163 é de uma rápida decisão. Precisamos resolver o problema dessa concessão. E os passos estão sendo dados pelo ministro Tarcísio [de Freitas, da Infraestrutura], que de forma competente está conduzindo isso. Nós viemos articular mais apoio, mais sinergia, para que nós possamos rapidamente resolver o problema dessa concessão e duplicar o trecho Cuiabá-Sinop”, reforçou.

Entenda o caso

BR-163 – A rodovia federal é a principal rota de escoamento da safra de grãos do Estado. Possui longos trechos sem a duplicação, fato que dificulta o transporte da produção. Desde o início do ano passado, o Governo do Estado tem buscado soluções junto ao Governo Federal para que a duplicação ocorra de fato.

Ferrovia da Rumo -  A ferrovia que compõe a Malha Norte será construída pela empresa Rumo. deve levar os trilhos da ferrovia para as cidades de Cuiabá, Lucas do Rio Verde e Nova Mutum. Ao todo, o projeto prevê a construção de três novos terminais para o transporte da produção agrícola e industrial, que cresce consideravelmente em Mato Grosso.

Ferrovia de Integração Centro Oeste (FICO) - A FICO será construída pela empresa Vale, ligando Mara Rosa (GO) a Água Boa (MT). Ao todo, o projeto prevê a construção de 1.641 quilômetros de trilhos.

O projeto deve sair do papel em breve em razão de o Tribunal de Contas da União (TCU) ter renovado de forma antecipada a concessão das outorgas para a Vale. A construção da ferrovia foi uma das contrapartidas para a renovação.

No projeto, está previsto que a FICO iniciaria em Campinorte (GO) fazendo ligação com a Ferrovia Norte-Sul. Na primeira etapa, chega até Água Boa num percurso de 383 quilômetros.

Já na segunda etapa, a previsão é que sejam feitos 518 km de Água Boa até Lucas do Rio Verde, com construção de um terminal de cargas.

A etapa da ferrovia abrange um trecho de 740 quilômetros do norte mato-grossense até o município de Vilhena (RO).

Ferrogrão - O projeto da Ferrogrão, ferrovia de 933 quilômetros que deve ligar Sinop (MT) ao porto fluvial de Miritituba (PA), prevê a capacidade para transportar cerca de 58 milhões de toneladas.

Além da economia que os produtores teriam com o transporte, a ferrovia facilitaria a logística do escoamento dos grãos e provocaria menos danos às rodovias.

Imprimir