Imprimir

Imprimir Notícia

21 Set 2020 - 11:10

Chicago: Preços da soja voltam a níveis de antes da “guerra”

O mercado de soja estendeu o rali da Bolsa de Chicago aos níveis máximos dos últimos dois anos, em torno dos níveis pré-guerra comercial, informou a T&F Consultoria Agroeconômica. Nesse cenário, a alta demanda da China continua a sustentar os preços. 

“O USDA anunciou vendas para o gigante asiático por 132.000 tons. Além disso, observou as vendas de farelo de soja por 100.000 tons para destinos desconhecidos. Desta forma, as compras da China foram confirmadas por 11 sessões consecutivas. Por outro lado, o óleo de palma acumulou outro avanço importante (+3,26%) e forneceu estímulo ao óleo de soja e ao grão”, comenta. 

Os futuros de soja fecham a semana confortavelmente em alta. “No fechamento, a soja estava 10 1/4 a 16 centavos mais alta. O contrato de nov foi 4,77% maior em relação à sexta-feira anterior em um rali de 47 centavos. Os futuros de farelo de soja fecharam o dia com ganhos de US$ 6,5 a US$ 7/toneladas. Os futuros de óleo de soja de outubro fecharam em alta de 5,47% de sexta a sexta-feira", completa. 

“O óleo de soja subiu 4,82% na semana e fechou a sessão de sexta-feira com ganhos de 19 a 32 pontos. Importadores chineses reservaram 132.000 tons de soja dos EUA para entrega 2020/21. O USDA também anunciou uma venda de 100 mil tons de soja para destino desconhecido na sexta-feira. O relatório semanal compromisso dos Traders (CoT) registrou  que,  de acordo com dados oficiais da última semana, os Fundos de hedge aumentaram mais uma vez a posição líquida comprada, deixando cerca de 153.226 contratos comprados. Assim, atingiu níveis máximos dos últimos 3 anos”, conclui. 

Imprimir