Imprimir

Imprimir Notícia

21 Out 2020 - 17:30

Sindicato Rural e CDL apoiam coronel

A candidata ao Senado pelo Patriota, coronel Fernanda recebeu adesões de duas categorias importantes de Poconé (100 km de Cuiabá), nesta quarta-feira (21).  

Produtores associados ao Sindicato Rural do município declararam apoio à militar após apresentarem as reivindicações do setor e ouvirem às propostas de reformulação da legislação ambiental voltada para o bioma Pantanal, fortalecimento do turismo e o comprometimento em melhorar a qualidade de vida e trabalho para os moradores da região pantaneira.

“Neste momento temos que nos unir em benefício do Pantanal. Até hoje estávamos sem um representante do pantaneiro, mas agora temos certeza que a coronel Fernanda é a pessoa que irá defender nossa causa no Congresso”, destaca o presidente interino do Sindicato Rural, Arlindo Alves Moraes.

Base política que o fazendeiro Celso Luiz Figueiredo diz ser de extrema importância para o manejo correto e trabalho do produtor pantaneiro. “Precisamos de uma referência em Brasília, estamos depositando nossa confiança nela. Temos que ter no Senado alguém que nos dê acesso ao presidente e aos órgãos que vão nos orientar a trabalhar de forma a produzir e preservar o meio ambiente, conforme determina a lei”, explica.

Comércio

Outra relevante adesão à candidatura de Fernanda partiu da direção da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Poconé.

O presidente da instituição, Antonio Dallanora, falou sobre os prejuízos que afetaram o comércio local devido à pandemia do covid-19. “Os lojistas e comerciantes tiveram grandes perdas financeiras com o fechamento do comércio em todo o país, por isso precisamos de incentivos fiscais ao empresariado, impostos justos e formas de agregar valor ao produto nacional. Esperamos que a coronel nos ajude nesse pleito, que ao ser eleita, crie condições para o comércio se fortalecer e expandir”, frisa.

Em contrapartida, Fernanda afirmou que pretende trazer soluções para os problemas dos municípios, mas que essas respostas têm que ser construídas junto com a sociedade organizada, levando em consideração a realidade local.

“Os poconeanos podem contar comigo, afinal, o político tem que servir ao povo. Ouvir suas queixas e fazer o possível para resolvê-las. Eu não quero ser uma senadora de Brasília, quero estar pessoalmente nos municípios vendo in loco as necessidades e atendendo aos prefeitos, independente de qual partido seja”, concluiu.

Esta é a segunda vez que a coronel recebe apoio de moradores e líderes de Poconé. Na primeira vez ela foi recepcionada com uma carreata por bolsonaristas da cidade.

Imprimir