Imprimir

Imprimir Notícia

29 Out 2020 - 09:03

Mulher é condenada por envenenar e ferir marido idoso em Aragarças

 
Jucélia Alves dos Santos, acusada de matar o marido, Leonídio Borges Leal, foi condenada pelo Tribunal do Júri de Aragarças a 12 anos e oito meses de reclusão. A sessão de julgamento foi presidida pelo juiz Wander Soares Fonseca, na última sexta-feira (23), e teve transmissão ao vivo pelo YouTube.
 
Leonídio tinha 69 anos e foi vítima de envenenamento, mas a causa da morte foi um grave ferimento cranioencefálico, em outubro de 2015. Consta da denúncia que a ré se casou com o idoso em agosto do mesmo ano, já com a finalidade de se apossar do patrimônio do marido.
 
Na peça acusatória, o Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO) narrou que o casal se conheceu numa igreja. A mulher fingia ser médica veterinária e alegou passar por dificuldades financeiras, quando foi morar na casa da vítima, fazendo trabalhos domésticos. Meses depois, eles se casaram e, logo no dia do casamento, o homem aparentou mal estar, supostamente causado por medicamentos inadequados administrados pela acusada.
 
Após a oficialização da união, amigos e familiares de Leonídio não conseguiam mais entrar em contato com ele, pois a mulher procurava isolar o então marido. Um mês depois, em setembro, a vítima deu entrada no hospital de Barra do Garças, em estado grave, quando, supostamente, a mulher já teria informado que seria em breve viúva e teria direito ao carro do idoso.
 
O homem chegou a ter alta médica e voltou à casa, para receber cuidados. Contudo, o irmão de Leonídio desconfiou da situação e se dirigiu ao local, momento em que encontrou o idoso vomitando sangue e com um ferimento na cabeça. A vítima foi socorrida, chegou a passar por cirurgia e tratamento contra o envenenamento, mas não resistiu, morrendo no dia 20 de outubro de 2015.

Imprimir